Negociação inicia e Reforma Trabalhista já se mostra um entrave na garantia de direitos
Gabriella Oliveira
Pessoas reunidas ao redor de uma mesa.

Uma nova reunião ficou marcada para a próxima quarta-feira, 11 de outubro.

Nessa quinta-feira (5) ocorreu na sede do Sindilojas POA a primeira reunião da negociação salarial deste ano. Diferentemente do Sindec, que entende a Reforma Trabalhista e a Terceirização como um retrocesso e precarização do trabalho, os sindicatos patronais mostraram que estão de acordo com as medidas aprovadas pelo Governo, sobre as quais pretendem respaldar as suas contrapropostas à pauta de reivindicação da categoria.

“Entendemos a reforma da legislação como um avanço que vai gerar empregos”, justificou o Presidente do Sindilojas POA, Paulo Kruse. O dirigente ainda completou dizendo que espera manter o espírito que sempre tiveram na mesa de negociação, para que se atendam os interesses de ambos os lados.

O Presidente do Sindec-POA reforçou que a negociação não pode prejudicar os avanços já conquistados.

“A reforma trabalhista foi feita por um Congresso comprometido com interesses que não são os mesmos dos trabalhadores, com pontos polêmicos e contraditórios. Independentemente da intervenção do Governo nas nossas negociações, temos que resolver as questões aqui na mesa, na busca do diálogo, beneficiando sim a manutenção de empregos, porém não esquecendo de reconhecer o trabalhador” disse Nilton Neco.

Uma nova reunião ficou marcada para a próxima quarta-feira, 11 de outubro.

Assista o vídeo do Secretário-geral Clàudio Janta, falando sobre o desafio desta negociação

Voltar pro topo